Translate

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Os discursos de posse dos dois Bolsonaros

Hoje, o presidente Jair Messias Bolsonaro começou o seu mandato. Ele proferiu dois discursos, quando tomou posse diante do Congresso Nacional e falando para o povo brasileiro. No primeiro deles, chamou atenção a atenção a ênfase no Estado Democrático de Direito e na boa relação com o Congresso. "Casei com vocês", disse ele para aliados próximos na plateia, afastado do microfone. 

Em um discurso que interessa muito para todos os analistas do seu governo e para a oposição começar a acompanhar as mudanças de regulamentação do Estado, o presidente expôs as suas prioridades. A atenção às reformas institucionais, o combate a corrupção, privatizações, o caráter técnico (contestável, sei, mas foram palavras dele) do seu ministério e combater ideologias e fisiologismo no poder.

Falou no Estado Democrático de Direito, na defesa dos direitos humanos, no respeito à Constituição Federal e ao Congresso Nacional, sendo assim um presidente republicano como um país em construção democrática espera.

Todavia, o tom foi muito diferente ao se dirigir aos cidadãos (isso, não mais aos eleitores, todo discurso será para todos nós). Com mais do que 10 menções a ideologias e a afirmação de que venceu o socialismo que estava no poder (sempre, segundo ele), fica claro que, como todo populista, quer voltar seus aliados contra seus adversários políticos.  Não é novidade, Lula falava contra neoliberais como tantos outros já se referiram com inimizade a quem chegou antes.

O diálogo com posições adversas não parece ser algo claro. A distância inédita de jornalistas para a posse, o desconvite para governantes de quem discorda "por serem comunistas" são outros elementos simbólicos fortes de que será preciso rever suas posturas nos próximos anos.

É preciso observar qual dos dois discursos prevalecerá. Do primeiro, pode-se esperar diálogo e respeito às instituições. Do segundo, a perseguição a adversários, a criminalização de movimentos sociais divergentes e bloqueios à liberdade de expressão. Tudo é muito cedo para ter certezas, mas a dualidade simbólica entre os dois momentos merece toda vigilância.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...