Translate

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Dedicado a uma garota que quer mudar o mundo... então é Natal!

Talvez você não acredite no Natal nem em Papai Noel, mas em contos de Natal ainda vale a pena depositar confiança. Tenho um.


Antes de tudo, concordo, o mundo anda complicado. Tentei escrever aqui sobre a proposta de Impeachment, sobre crise econômica, sobre o atentado a uma casa de shows em Paris, refugiados da Síria, sobre a catástrofe em Mariana-MG... fica difícil pesquisar, fazer o texto, revisar, quando são tantas tragédias se sucedendo tão brevemente. E quando sentei para escrever dessa vez o Museu da Língua Portuguesa pegou fogo... Está difícil, sim.



Acontece que durante o longo tempo em que arrestei o blog com escassas atualizações a fanpage no Facebook continuou sendo curtida. Textos também. Comentários. Eu ainda pensava nisso ontem à noite quando conheci Duda. No ambiente enfadonho do Periscope (que visito um a dois minutos a cada noite por insistência de um amigo que aposta em seu potencial), cercado de gente bêbada ou com cara de sono transmitindo nada para tarados que só pedem que tirem a roupa, apareceu uma garota de 17 anos querendo partilhar uma experiência sua. Ela havia visitado uma instituição beneficente que atende crianças e se sentia feliz com a experiência. Divulgava que visitaria um abrigo de idosos no dia seguinte (hoje), muito empolgada. Rapidamente, surgiram coordenadores de ONGS oferecendo apoio em diferentes cidades do país. Mas, deixa a Duda falar que pedi a ela um depoimento e docemente ela me enviou na mesma noite.




Oi Sérgio, sou a Duda da live dessa mesma madrugada. Então o meu projeto mal começou e parece que já vai terminar, além de que já estou de mudança mas pretendo participar de projetos sociais em Recife. onde, a partir de novembro irei morar. Não sei bem que depoimento posso lhe dar. Mas vou tentar, se achar muito ruim, me desculpe.
Vamos lá,
Sou uma da milhares de Marias que existem por ai, sem haver muita diferença de outras meninas (e Marias) da minha idade, tenho 17 anos, estudo em uma escola particular, tenho uma família, uma casa e até cachorros. Vivo pensando no que será de mim no futuro, reclamo de barriga cheia do meu passado e todo ano sempre digo o mesmo discurso "esse ano farei algumas ou pelo menos uma ação social" e como promessas de fim de ano e pedidos para estrelas cadentes, nada acontece, nada se realiza e vira projeto "pra ano que vem" . Mas esse ano quis fazer diferente, parei com "farei" e fui lá e comecei a fazer. Ações boas no dia a dia sempre fui de fazer, mas dessa vez tentei unir amigos para um projeto, para fazer pessoas esquecidas felizes, para dar aqueles que não tem nada, pelo alguma coisa, ou ao menos dar a eles a chance de ter momentos felizes. Só que eu não tinha parado para pensar o quanto é difícil e complicado contar com pessoas que tem tudo de bom e do melhor que não querem perder nem se quer uma hora de um dia qualquer para fazer coisas boas para pessoas que precisam, uma pena, pois muitos desses não sabem que apenas 15 minutos dando atenção a uma senhora idosa largada em um asilo já pode melhorar a vida dela e a sua também, a maioria das pessoas sempre estão "ocupadas" demais para isso, nem o tal espírito natalino faz milagre. Mas não vou desistir, acredito na minha força de vontade e tenho fé nas pessoas, com o tempo e com minha insistência e a insistências de outras pessoas como eu, irão se juntar a mais uma Maria nesse vasto mundo e sair por ai mudando tudo em sua volta para melhor. Sabe por quê? Até na minha primeira tentativa dentro de vários "não vai dar" que recebi, também recebi "pode contar comigo". E de pouquinho em pouquinho pequenas atitudes se transformam em grandes transformações!

Duda, é isso aí. Para cada tragédia mencionada no começo do post existem pessoas lembrando umas às outras que não estamos sós, talvez apenas dispersos, e que vale a pena lembrar que amanhã a vida continua. Duda sairá de Teresina por esses dias para morar em Recife com a certeza de que novos projetos sociais virão. Se os amigos não acompanharam hoje ao abrigo de idosos, não desanima. Quando eles virem sua expressão feliz como tantos viram ontem podem se arrepender, ou pelo menos vai fazendo mais e mais amigos.

Nesses anos em que esse blog se arrasta pela blogosfera, como bem disse Duda, muitas Marias têm mostrado que o pessimismo é para os preguiçosos, acomodados, que preferem resmungar a tentar empurrar o mundo para mudanças. 

Por aqui, pude fazer algo singelo e constatar isso. Juntei roupas, sapatos, relógios etc. para doação e tirei fotos das sacolas. As almas sebosas diriam que a foto no Instagram seria exibicionismo. Graaaaande exibição tirar foto de sacolas de roupas em uma rede em que todo mundo tira foto de tudo... mas o que encontrei foram comentários, mensagens privadas, de gente se oferecendo para ajudar, entregando aquelas sacolas em diferentes destinos. Simples assim. De minha casa, sem grande trabalho.

Há muitos sites oficiais, confiáveis, fáceis de achar, para doações em tragédias, para vincular cartão de crédito a instituições, para mexer um pouco o mundo para algum lugar melhor. Aos acomodados, vão dormir. Aos que dão sentido a redes como o Periscope como Duda e mostram que vale a pena desafiar a escrotidão que parece ser reinante apenas porque faz mais barulho, a estes desejo um Feliz Natal e um 2016 de fôlego renovado para novas lutas.

Abraço fraterno e pré-natalino a todos.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...