Translate

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Conheçam Gisele Teixeira, a minha local friend


Logo que cheguei em Buenos Aires na semana passada, tive o prazer de encontrar pessoalmente com uma amiga on-line, Gisele Teixeira, no Shopping da Recoleta. Gi é uma jornalista brasileira que mora há alguns anos por lá. Mais do que isso, é a blogueira responsável pelo blog Aquí me Quedo

Não vai demorar para encontrar no Google blogs de dicas turísticas. Não é esse o caso. Leio o blog de Gisele desde que lia o blog de Ricardo Noblat e diariamente nos últimos três anos, devido às viagens para o país pelo Doutorado. Seu diferencial é que, em vez de dicas gerais para turistas, ela oferece sua perspectiva. Não se trata do que possa interessar aos brasileiros, pois ela sabe que isso não existe, existem interesses diversos para distintas pessoas. 

Por exemplo: Ela pode divulgar uma milonga em praça pública que ocorre nos sábados de manhã, ou os guias de livrarias portenhas que conhece. Nada exatamente convencional, por isso mesmo muito mais interessante. Da sua vivência vieram duas grandes decisões profissionais: está se tornando professora de Tango, estudando na universidade para isso, e, o que mais importa para esses parágrafos, tornou-se uma local friend.

Explico do que se trata, não é difícil. Quando cheguei na cidade, a guia lançava rapidamente para os passageiros da van que nos levaria para os diversos hotéis dicas genéricas, "comprem na Florida no tempo livre", "vejam shows de tango em um desses 3 lugares...", mas o que fazer se a pessoa estiver sozinha na cidade, ou em um casal que quer poder dar uma volta, parar em um jantar e bater papo com alguém sobre as ruas visitadas? Contrata-se um local friend para ser companhia de compras, conversar nas visitas a livrarias, acompanhar a uns tangos, enfim, ser companhia na cidade. 

Assim como ela existem muitos outros e é possível escolher em sites por cidade, por áreas, enfim, viajar só e sozinho tornou-se plena opção. Se parecer que seria mercantilização da amizade, podemos pensar diferente. Gisele é clara em dizer que a grande felicidade de ter em média 3 clientes por semana é quantas pessoas novas pode conhecer, quantas amizades pode fazer, como pode criar uma rede internacional de contatos afetivos em pouco tempo. É preciso lembrar que não se clica em um ícone e reserva-se uma pessoa, mas há comunicações preliminares por email que podem durar dias, para que o local friend possa agradar a cada novo amigo. Cidades como São Paulo, New York, Tokyo foram mais longe há muito tempo e oferecem amigos de aluguel para os próprios moradores da cidade. 

Se pensarmos bem, quantos vão ao cabeleireiro para botar a conversa em dia, fazem questão de certo taxista devido ao papo comum, contratam personal trainer para não correr sozinhos? A ocupação do espaço urbano envolve encontrar continuamente novas maneiras para nos relacionarmos. Se visitamos uma nova cidade apenas para uma reunião de negócios, um breve evento sem programação noturna, podemos ter muitas horas perdidas no hotel ou ociosas em uma mesa de bar cercados de paqueras frustradas. Serviços assim são uma bela solução para eliminar muitos dos desencontros de ocasiões assim.

Recomendo a todos que queiram viajar mas adiam por falta de companhia, assim como para quem more em outro lugar e não saiam de casa por não conhecer ninguém. 

Para quem quiser conhecer a página em Português, clique aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...