Translate

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Osama morreu. Obama também.

Osama Bin Laden foi assassinado nesta semana. Após dois anos aposentado, sem mais vínculos com a Al Qaeda, finalmente foi encontrado em uma mansão ao lado de uma base militar. A organização terrorista já não contava mais com ele, então os americanos o localizaram em uma casa que o Google Earth pode apontar com precisão.


Isto significa que durante 10 anos Osama manteve os EUA sob medo, mudou a política internacional de segurança dos aeroportos, retirou o mito da hegemonia americana, até poder se aposentar em sossego e ainda se converter em mártir para boa parte do mundo árabe, pois foi morto, não julgado.

Obama foi eleito como presidente cujo discurso se opunha às violações aos direitos humanos cometidas pelo governo do seu antecessor. Negro e militante dos direitos civis desde a faculdade, representava a superação dos abusos de autoridade sob ordens do governo. Pois decidiu não fechar a prisão de Guantánamo e agora matou o inimigo simbólico dos EUA. Em seguida, em seu discurso ao povo americano, seguiu o discurso do medo do seu antecessor e disse que a América era um lugar mais seguro agora. 

O mito de Obama morreu. Reerguerá sua campanha para se candidatar a presidente com base na esperança de superioridade bélica americana e matando inimigos entrando em outros países sem que eles saibam, como fez nesta semana. Vida longa a Bush.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...