Translate

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Release do lançamento do Manual de Metodologia para a Pesquisa Jurídica

Agradeço a Wanessa Oliveira pelo release abaixo, feito por ela para meu livro, a ser lançado hoje e amanhã.

RELEASE: Pesquisador alagoano lança obra de incentivo à cultura científica

Que vida de estudante de direito é complicada não é nenhuma novidade. A situação fica ainda mais latente aos que já executam ou estão prestes a elaborar pesquisas científicas na área jurídica, e precisam se apoiar em livros de metodologia que parecem falar em uma linguagem estranha, não identificada. Resultado: além do trabalho final não ter resultados desejáveis, o sonho de que o aluno tenha gosto pela pesquisa torna-se uma raridade, quase uma utopia.

Coube ao pesquisador Sérgio Coutinho identificar essas nuances e transformá-las, após dois anos de estudo, na obra “Manual de Metodologia para a Pesquisa Jurídica”. A obra, que vai ser lançada nos dias 15 e 16 de fevereiro, no prédio da Faculdade Maurício de Nassau, às 9 e 19h respectivamente, é um pé no chão aos que querem, como define o próprio autor, ver suas ‘dúvidas reais convertidas em capítulos’.  “

O livro é dividido de acordo com as várias etapas que passam os estudantes. “Começo de modo tradicional, com as formas de conhecimento, como ler, estudar. No entanto, é na organização desses capítulos que fica a diferença. A linguagem é trabalhada para manter diálogo constante com o leitor. Conto histórias para aproximá-lo do cotidiano da produção científica”, relata, acrescentando que apesar de suas considerações serem específicas para estudantes de direito, a obra pode ser útil a acadêmicos de quaisquer cursos.  

Coutinho acrescenta que a abordagem é uma espécie de ‘auto-ajuda científica’.  “Há capítulos exclusivos, como o cuidado com a relação orientador/orientando, o uso de referências eletrônicas, a escolha entre teorias do conhecimento, entre outras questões”, emenda.  “As atividades típicas da orientação estão transcritas passo a passo”.

Cultura científica não desperta atração a novos pesquisadores, diz professor

Para o pesquisador, seu livro não é um apoio para aulas, mas estimula a leitura orientada ao estudo, transpassando pela seleção de fontes de pesquisa e no cuidado na organização pessoal para estudar. “Fora do varejo que é a sala de aula, meu livro é útil na atenção pessoal aos estudantes que querem aprender”, diz, adiantando que não adianta tentar forçar o estudante à prática acadêmica. “Muitos professores preferem comprar briga com quem precisa de mais atenção. Talvez meu livro ajude a alterar esse foco”.

Sérgio Coutinho, que escreveu o livro a partir de observações durante suas aulas de metodologia em cursos de graduação e pós-graduação, afirma que a ausência de estímulo à pesquisa é gerada por uma série de desilusões acadêmicas. “Os livros existentes não pareciam ser feitos para quem não tinha prática de pesquisa”, diz. “A maioria das obras desestimulam, com linguagem hermética e ausência de atenção ao leitor”

O autor também acrescenta que há uma ausência de cultura científica no País, na medida em que os possíveis pesquisadores são impedidos de visualizarem caminhos claros e práticos para a carreira científica.

“Não é à toa que a evasão de cérebros é imensa no país. A burocracia para bolsas, que são poucas e fazem gente séria brigar por diárias de viagem para o interior do próprio estado, são sinais de que não levamos a sério o crescimento sustentável do país. Temos que atrelar o conhecimento científico como parte de nosso capital nacional, de nosso produto interno bruto”, emenda. “É preciso acabar com o improviso. Programas de pesquisa a longo prazo envolvem investimento contínuo”.  

No entanto, segundo o professor universitário, o posicionamento de quem precisa chamar atenção para investimentos em pesquisa e chamar atenção do aluno para que se envolva nos trabalhos científicos beira a ideias quixotescas. “Não temos a tradição filantrópica nem comunitária dos Estados Unidos. Empresas não investirão em pesquisas abstratas, cujo resultado econômico só virá com aplicações décadas depois. Tem que estar atrelado ao Estado, como de fato é hoje. Quase toda produção científica nacional é vinculada a capital público e universidades públicas”, completa.

--

Sérgio Coutinho é Doutorando em Direito pela Universidad de Buenos Aires, Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Alagoas. Professor universitário em Maceió e blogueiro responsável pelo blog Mundo em Movimentos.


Serviço:

Lançamento do “Manual de Metodologia para a Pesquisa Jurídica”.

Data: terça-feira (15/02) às 9 horas/ quarta-feira (16/02), às 20 horas
Local: Faculdade Maurício de Nassau
Evento aberto ao público
Contato: (82) 9309 8197

Atualizando: não ocorreu o lançamento na Faculdade Mauricio de Nassau. Marcaram outros eventos nos auditórios mas apenas na hora do lançamento fiquei sabendo, sem ser comunicado.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...