Translate

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Cuidado com o golpe do seguro

A minha mãe  recebeu hoje uma correspondência interessante. Trata-se de uma suposta apólice de seguro que lhe daria um pecúlio de R$ 66.000,00 e 6 salários mínimos mensais. e uma pensão vitalícia. Seguem-se algumas informações que foram úteis para que eu percebesse que era golpe.

Quando abri o envelope, chamou logo a atenção que colaram um endereço de Brasília como remetente, mas o selo na carta era de Natal, no Rio Grande do Norte. A aparente confusão, que poderia ser apenas por terem filiais, complicou-se mais pela enorme pressa com que a funcionária, quando telefonei para a empresa, segundo o número que constava no suposto contrato, exigia o depósito de 5% do valor do pecúlio imediatamente, a título de honorários advocatícios. Quando eu falei que não faria imediatamente o depósito, não forneceram as informações bancárias da suposta advogada. Fazem isso pois assim não será possível investigar.

Cuidei pessoalmente da documentação após a morte do meu pai, lembro de cada empresa onde tinha seguro e para onde foram encaminhadas cópias do atestado de óbito. Não pediram documento algum comprovando nada. Permitiram que eu fornecesse número de conta e agência da minha mãe, sem checar titularidade alguma antes. Seria a única seguradora sem burocracia do mundo.

O contrato tinha um erro grosseiríssimo. Afinal, enviaram o contrato com observação no final, dizendo para a minha mãe que ia receber o valor acima. Se o contrato havia sido feito duas décadas atrás (usam data remota para jogar com a memória do beneficiado), como já tinha linhas constando recado para minha mãe sacar o seguro? 

Além disso: no contrato constava o email da empresa, o que não existia com certeza duas décadas atrás. Se você ficar em dúvida em situação semelhante, use a dica do Hotmail. Como uma seguradora enorme teria uma única conta de email, com seu nome@hotmail? Teria @seunome, teria email para atendimento, outro para setor jurídico, outro contábil... não apenas um geral com hotmail como extensão.

Não se admire nunca por terem seus dados pessoais completos. É muito fácil obter nossos nomes, endereços, CPFs, RGs etc. considerando o número de lugares em que deixamos essas informações. Forjar um contrato de seguro não é nada difícil também. 

Escreva BRASEPP no Google e veja o número de estados em que já fizeram vítimas.

Após a ligação, orei para São Google e ele mostrou a verdade, no jornal Estado de Goiás:

http://www.jornalestadodegoias.com.br/noticias_detalhe.php?id_noticia=2521&&id_editoria=4

[ 23 02 2011 ]

Golpe do pecúlio' chega a Anápolis

Pessoa recebe em casa dados que indicam contribuição para empresa de previdência privada. Para o resgate do dinheiro, corretor cobra adiantamento de 5% do valor


Fernanda Morais

Aposentados e contribuintes do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) devem ficar atentos a um golpe, que apesar de antigo, costuma fazer vítimas em todo o Brasil e que já foi observado este ano em Anápolis. Trata-se do golpe do pecúlio. O JE foi procurado no início desta semana por uma aposentada denunciando a ação de estelionatários.

A senhora recebeu correspondência em casa documentos com todos os seus dados pessoais indicando que teria assinado um contrato de Previdência Privada no ano de 1986 e que agora, em 2011, chegara o momento de fazer o resgate do benefício. O remetente é a Brasil Seguros e Previdência Privada (Brasepp), empresa com endereço na Avenida Eusébio nº 746, da cidade de Pinheiros, em São Paulo.

Conforme a papelada enviada à aposentada, ela teria contribuído mensalmente durante 15 anos com a Brasepp e poderia resgatar o pecúlio no valor de R$ 66.550. Para tanto, de acordo com a cláusula 10 do contrato, a contemplada teria que adiantar, por meio de depósito na conta da empresa, 5% do valor do benefício, ou R$ 3.270. Foi aí que a aposentada, com o auxílio de um de seus filhos, teve certeza tratar-se de um golpe.

Conforme familiares da vítima ‘escolhida’ pela Brasepp, a aposentada nunca teria contribuindo com planos de previdência privada. Esse fator foi determinante para que ela não caísse no golpe, também conhecido como ‘gerador de dinheiro fácil’. Ainda assim o filho da aposentada ficou preocupado ao ver que o remetente conseguira reunir todos os dados pessoais de sua mãe como RG, CPF, número de telefone e endereço residencial. “Minha mãe nunca pagou esse tipo de previdência, mas o golpe é bem planejado, o contrato é muito bem feito”, disse ele.

Com o contrato falso do plano, endereço e número de telefone, a reportagem do JE entrou em contato com a Brasepp. A atendente se apresentou com o nome de Carla Silva, confirmou todos os dados pessoais da aposentada e depois explicou as exigências que deveriam ser cumpridas para liberação do dinheiro. A todo o momento Carla repetia que a transferência do benefício só seria feita após a efetivação do depósito de 5% do valor do resgate na conta da empresa. O motivo seria a necessidade de pagar os débitos junto à prestadora de serviços de assessoria jurídica da Brasepp.

Contribuição
Para a proposta ficar ainda mais atrativa, por telefone, a atendente informou que além do valor de R$ 66.550 a aposentada também seria contemplada com a renda vitalícia de seis salários mínimos. Para isso, a vítima precisaria efetuar o depósito de R$ 3.270 até o final do mês de fevereiro. A ligação foi finalizada com a explicação que o benefício pago a aposentada também faz parte de um processo judicial movido por ela contra o governo Fernando Collor até o ano de 1999, quando o então presidente bloqueara milhares de poupanças de contribuintes brasileiros. “Assim que resolver fazer o resgate do valor, entre em contato conosco no horário das 8h às 17h”, disse Carla ao encerrar a conversa.

Dicas
Pela internet é possível encontrar algumas vítimas que caíram no golpe do pecúlio. Uma das observações simples para constatar que o benefício concedido não passa de golpe, é perceber os meios de contatos fornecidos pelo remetente. A empresa em questão não possui telefone fixo, oferecem apenas números de celulares. Já o correio eletrônico (email), é público e gratuito, como o Gmail e Hotmail, por exemplo.

O golpe se torna explícito ao se observar que uma das cláusulas do contrato faz o pedido de adiantamento, no caso da Brasepp de 5%, do valor total ao qual a pessoa teria direito, e que deve ser depositado em uma conta bancária para assim ser feita a liberação do resgate. Quem tiver acesso à internet deve buscar informações sobre o remetente da correspondência e verificar as referências da empresa. Quando se trata de golpes é possível encontrar a existência de reclamações de outras pessoas que foram vítimas da ação.
No meu caso, o telefone e o endereço eram de Brasilia, o que mostra que a "Dra. Carla Silva" (frisou o Dra.) tem filial.

Todo cuidado é pouco quando o assunto são promessas de dinheiro fácil.


1 comentários:

Marina disse...

Meu pai acabou de receber. Ele é aposentado (recentemente) do Governo Federal. Eu logo estranhei, corri para o Google e cá estou. Mais uma tentativa de golpe, desta vez, na Paraíba.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...