Translate

sábado, 16 de outubro de 2010

"Por que votar em Serra" (por Eduardo Lyra)

enviado por Eduardo Lyra





Por que votar em SERRA


Não voto em partido que tem desapreço às liberdades que conquistamos a duras penas: liberdade de manifestação de pensamento, liberdade de imprensa, liberdade religiosa etc.;

Não voto em partido que tem, dentre os seus líderes, pessoa a quem o STF se refere como chefe de quadrilha;

Não voto em partido que se acha ungido pela graça divina, pelo espírito santo, pelas forças históricas das massas ou qualquer coisa que o valha, execrando todos aqueles que não concordam com suas diretrizes programáticas;

Não voto em partido que "esquece" a continuidade das conquistas históricas de cidadania e defesa dos direitos fundamentais, reafirmados ao longo dos últimos vinte (20) anos por todos os presidentes eleitos após o fim da ditadura, pretendendo dividir a história do Brasil em A.L. (antes de Lula) e D.L. (depois de Lula);

Não voto em partido que pretende incluir o racialismo entre as políticas públicas, dividindo o País em negros e brancos, pobres e ricos (a diversidade cultural, étnica, econômica e religiosa do nosso Brasil é infinitamente superior a tais dicotomias).

Não voto em partido que se alia a agremiação partidária à qual o atual assessor da campanha da candidata se referia, num passado bastante próximo, como "ajuntamento de assaltantes", e ao candidato a vice-presidente da mesma candidata, como "chefe do ajuntamento de assaltantes"; 

Não voto em partido que não respeita a divergência política como um corolário do princípio democrático, fundante de nossa Constituição Federal;

Não voto em partido cuja candidata é incapaz de sustentar suas afirmações com convicção, estando mais preocupada em jogar para a platéia, na busca incessante de angariar eleitores a qualquer custo;

Não voto em partido que joga o jogo político da forma mais sórdida possível, destruindo a biografia dos opositores, utilizando-se da máquina administrativa para investigar seus parentes e amigos, tudo com a finalidade de construir dossiês e congêneres;

Não voto em partido que não respeita as decisões judiciais, nomeadamente eleitorais, esperando, quem sabe, uma eventual crise institucional no País;

Não voto em partido que no cenário internacional privilegia ditadores, caudilhos e líderes populistas (Irã, China, Cuba, Venezuela, Bolívia etc.), desprezando nações que têm tradição democrática e de defesa irrestrita da liberdade, potencial econômico e condições de trazer muito mais divisas para os cofres de nossa nação;

Enfim, não voto no PT de jeito nenhum. 

Embora a política do Presidente Lula tenha tido os seus acertos ao longo de seus dois (02) mandatos, os fatos acima observados, devidamente considerados, obrigam-nos a uma mudança de rumo. Chega, portanto, de dominação carismática, messiânica. A liderança do Presidente deve ser construída em bases racionais, pautada pela absoluta legalidade, com respeito irrestrito aos princípios fundamentais de nossa Carta Política.

O Presidente deve ser, antes de tudo REPUBLICANO.

Por tais razões, voto em SERRA.

Eduardo Lyra Junior.

1 comentários:

Silvio disse...

O desespero toma conta do eleitor responsável, pois ele sabe que, para onde for o seu voto estara perdendo. Não existe para ele um partido "votável", um candidato "notável". Ele está perdido de qualquer maneira. Uma pena!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...