Translate

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Porque perdão foi feito pra gente pedir

(claro que não é em Alagoas)


Estou acostumado a ver políticos responderem a críticas acusando a administração anterior ou a oposição. Contudo, o secretário de educação de São Paulo mostrou autocrítica nessa semana de um modo interessante. Pediu desculpas.

O programa CQC divulgou nessa semana uma denúncia de que os kits escolares não foram entregues aos alunos da rede pública. Quando Rafinha Bastos, repórter do programa, foi à secretaria não apenas não foi recebido como fora divulgado um comunicado antipático informando que estavam trabalhando e por isso não poderiam dar atenção a um programa de humor.

Diante da reportagem assistida, o secretário de educação escreveu em seu blog:

Desculpe parece ser a palavra mais difícil…

Ontem à noite o CQC fez uma matéria sobre o atraso na entrega dos uniformes e kits escolares. Uma matéria dura, bem ao estilo do programa (que aliás, eu assisto quando posso). Achei que o Rafinha pegou um pouco pesado e foi injusto com os funcionários da Diretoria do Jaçanã-Tremembé. O rapaz que o atendeu é um supervisor de carreira, muito sério, e não tinha condição de dar as respostas que o programa queria. No mais, a matéria é correta e também é correta a indignação dos pais e dos membros do programa com relação ao atraso e à nota emitida pela secretaria de educação.

Para ler o texto inteiro, clique aqui.

O secretário tem um blog. Já é um raro sinal de transparência, pois não serve apenas para a autopromoção, mas para responder às críticas à sua gestão. Ele também lê e responde aos comentários. E a não ser que tenha um assessor 24 horas, é ele mesmo quem responde. Diante dos seus erros, mostrou como é possível lidar com a sociedade de um modo dinâmico e transparente com comunicação simples (o blog dele usa plataforma gratuita do Wordpress).

Não seria difícil seguir o exemplo em outros estados. Pelo menos, quando o assunto é comunicação com a sociedade e senso de responsabilidade diante dos próprios erros.

2 comentários:

Antonio Celestino disse...

Professor Sérgio,

Essa matéria está maravilhosa. Não sei se isso representa um pontinho de luz no fim do túnel, mas foi uma atitude totalmente inesperada, raríssima e corretíssima de um administrador público.

É uma pena que eu tenha que enfatizar esses termos, mas em nosso Estado uma atitude como essa é algo inimaginável.

Primeiro que um secretário do Governo de Alagoas não teria capacidade de ter seu próprio blog. E depois mesmo que tivesse não seria hospedado gratuitamente no Wordpress, iria fazer uma concorrência para contratar hospedagem, pagar domínio, agência de criação, sistema de gestão de conteúdo online, etc, gastaria uma fortuna e seria algo sem praticidade e que acabaria não sendo utilizado.

Segundo, por mais errado que o secretário do Governo de Alagoas estivesse ele não teria humanidade (humanidade mesmo, não é humildade não) suficiente para admitir que cometeu um erro. Políticos e agentes públicos do alto escalão de Alagoas são Semi-Deuses (as vezes se acham até maior que o próprio Deus) e por isso não cometem erros, isso é coisa de ser humano.

Terceiro, espero realmente estar errado e terei MUITO prazer em pedir desculpa para algum político ou agente público de Alagoas que tenha capacidade de agir como esse secretário do estado de São Paulo.

Ah, e além de ter um blog (adorei o fato de ser do Wordpress) ele também tem Twitter e é bastante ativo por lá. Será que é o efeito Obama agindo no Brasil? Tomara que sim.

Sérgio Coutinho disse...

Assino embaixo, Tony. A polêmica do Alexandre com o CQC é incompreensível para os políticos por aqui. Alguém que não confunde público e privado. Abraço!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...