Translate

sábado, 18 de agosto de 2007

Jogos para Todos

MANIFESTO CONTRA A DISCRIMINAÇÃO DE ATLETAS COM DEFICIÊNCIA E PELA REALIZAÇÃO DE JOGOS PARA TODOS

Considerando que o Esporte é evento que congrega expressivo número de participantes e simpatizantes em todo o mundo. Tendo em vista a vastíssima e integral cobertura da mídia nos Jogos Panamericanos, com acompanhamento e torcida de todos os brasileiros, em tempo real.

Considerando que, nesta data, o Brasil consagra-se em Primeiro Lugar na conquista de mais que o dobro de Medalhas de Ouro em relação ao segundo, terceiro e quarto colocados (Canadá, México e Estados Unidos), nos Jogos Parapan-Americanos. Em virtude dos atletas que competem nos jogos parapan-americanos serem profissionais altamente qualificados, que envidaram o mesmo nível de esforço para conquistar suas posições, não diferenciando- se em nada dos demais atletas sem deficiência.

Considerando que a primeira Paraolimpíada foi realizada no ano de 1960 e o PARAPAN RIO 2007 está na terceira edição oficial dos jogos Parapan-americanos, legitimados pelo Comitê Paraolímpico Internacional.Considerando que os atletas parapan-americanos brasileiros são tão brasileiros quantos os demais atletas que disputaram os jogos Panamericanos e que ambos, antes de serem atletas, são acima de tudo cidadãos. Partindo do princípio que o Artigo 5º da Constituição Federal estabelece que "Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza".

Considerando que os jogos paraolímpicos, assim como os parapan-americanos, deveriam ocorrer simultânea e paralelamente aos jogos olímpicos e panamericanos, sem distinção dos atletas em função de sua condição física, intelectual ou sensorial, apenas estabelecendo- se a mesma condição em cada competição, substituindo os jogos paraolímpicos por jogos para todos.

Considerando a absurda exclusão de atletas com deficiências intelectual e auditiva, impedidos de competirem durante os mesmos jogos participados pelas pessoas com outros tipos de deficiências. Em virtude de buscarmos todos, no Brasil e no mundo, uma sociedade efetivamente inclusiva, em que todas as pessoas possam estar em todos os espaços e eventos, indistintamente.

Nós, do Grupo de Estudos do Estatuto da Pessoa com Deficiência, formado por cidadãos brasileiros, pessoas com deficiência, familiares, amigos e profissionais que promovem os direitos e a dignidade humana da pessoa com deficiência, vimos a público manifestar nossa indignação e repúdio pela discriminação e exclusão expressas na realização dos Jogos Parapan-americanos, realizados posterior e separadamente dos demais atletas sem deficiência.

Discriminação também revelada na forma de tratamento adotada pelos meios de comunicação em geral para divulgação dos Jogos Parapan-americanos 2007 e na segregação e exclusão a que são submetidos os atletas brasileiros com diferentes tipos de deficiência. Salientamos, ainda, que o espaço oferecido pelos meios de comunicação para a divulgação das honoráveis conquistas dos atletas com deficiência é infinitamente menor do que o dispensado aos demais atletas sem deficiência.

Enquanto a programação televisiva sofreu alterações substanciais em várias emissoras de canal aberto para a cobertura dos Jogos Panamericanos, acompanhados em tempo real e ocupando significativa parte da grade de programação, os Jogos Parapan-americanos são mostrados apenas pontualmente nos horários convencionais dos telejornais, com cobertura piegas e equivocada, ressaltando- se sempre a deficiência e aspectos da modalidade esportiva, em detrimento da performance do atleta, como ocorre nas demais coberturas de outros jogos com profissionais sem deficiência.Reiteramos que tem este manifesto tão somente a função de destacar a forma discriminatória com que os atletas com deficiência são tratados pela sociedade e mídia brasileiras e de ressaltar a valorosa atuação desses atletas que se valem da própria coragem, determinação, inspiração, garra e superação para mostrar ao mundo que são iguais aos demais atletas, haja visto o número de medalhas conquistadas, não havendo fundamento no desinteresse da mídia e do mercado empresarial, que não investem ou empreeendem ampla cobertura dessa importante competição.

Ressaltamos ainda a urgência para que os Comitês Paraolímpicos Nacionais e Internacionais revejam a exclusão inaceitável e improcedente da realização dos jogos à parte e de pessoas com determinados tipos de deficiência que vivem o paradoxo de serem estimuladas à prática esportiva, mas se vêem toldadas de participarem de competições nacionais e internacionais junto aos demais atletas, contradizendo- se com a atual tendência mundial de inclusão social das pessoas com deficiência.

Que o presente Manifesto alcance o objetivo de sensibilizar todos os membros das sociedades civil e empresarial e os meios de comunicação para que se despojem de seus preconceitos expressos na referida discriminação, que reconsiderem e passem a utilizar o mesmo peso e a mesma medida para a realização e transmissão dos Jogos Pan-americanos, bem como os Jogos Olímpicos, que acontecerão em Pequim, China, em 2008, para que se configurem como plenamente inclusivos, com atletas com e sem deficiência.

Brasil, 16 de Agosto de 2007
Maria Isabel da Silva - Jornalista e Moderadora do Grupo de Estudos do Estatuto
Diretora Geral da Associação para a Educação, Esporte, Cultura e Profissionalizaçã o da Divisão de Reabilitação do HC (AEDREHC) - Contato: (11) 5539.2942

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...