Translate

quinta-feira, 8 de março de 2007

Movimentos feministas

"Mais um dia 8 de março chega para reafirmar a necessidade de persistência das lutas feministas em todo o mundo. Desde 1910 o dia da mulher vem sendo comemorado ano a ano, consolidando-se como um dia de debates, discussões, passeatas, enfim, um dia de luta. Obviamente, não se trata de luta armada, nem da queima de sutiãs em praça pública, mas, sim, de uma luta solidamente intelectualizada e que se volta, sobretudo, para as camadas mais carentes e menos assistidas pelo Estado.

Se inicialmente o dia da mulher era celebrado apenas em memória das 129 operárias barbaramente mortas enquanto faziam greve por melhores condições de trabalho numa fábrica de tecidos em Nova York, atualmente esse dia se destina a milhões de mulheres anônimas espalhadas por todo o planeta, que ainda desconhecem o real significado das palavras dignidade, igualdade e liberdade.
Guardadas as peculiaridades culturais que marcam cada época e cada sociedade, subsiste algo em comum entre os povos do mundo inteiro: articulações de movimentos feministas das mais diversas perspectivas ideológicas, que lutam pelo reconhecimento da dignidade às mulheres, seja no mercado de trabalho, nos espaços de atuação política ou até mesmo no lar.

No Brasil, sobretudo com a Constituição de 1988, os movimentos feministas ganharam muita força política e alcançaram algumas conquistas. No entanto, ainda é bastante grande a resistência de parte da sociedade brasileira em relação às lutas femininas, de modo que é necessário relembrar, dia a dia, as razões históricas – e ainda atuais – pelas quais se perpetuam as afrontas aos direitos das mulheres: desigualdade, desrespeito, violência.

Alagoas não foge desse contexto. Assistimos, num silêncio criminoso, a reprodução de práticas remanescentes do modelo patriarcal de sociedade e, com a nossa omissão, colaboramos para que isso continue a ser uma absurda realidade. Daí a importância dos grupos feministas alagoanos, que em batalhas hercúleas, ainda são uma bela expressão do desejo de transformar a sociedade.

Já se foi o tempo em que movimento feminista era coisa de mulher. Nos dias de hoje, lutar pelos direitos das mulheres está para além dos gritos de meia dúzia de corajosas que se expõem perante uma sociedade em busca de justiça.
Lutar pelos direitos das mulheres, hoje, é pressuposto fundamental para a própria realização da condição humana".

Elaine Pimentel
Publicado na Gazeta de Alagoas, hoje

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...